A seleção brasileira de judô já está na Rússia para a disputa do Grand Slam de Ecaterimburgo, que começa na sexta-feira, 15, e vai até domingo, 17. A delegação desembargou em solo russo na terça-feira e parte dos atletas fizeram um treinamento de adaptação na manhã de quarta-feira sob as orientações dos técnicos Yuko Fujii e Mario Tsutsui. 

No terceiro Grand Slam de 2019, o Brasil terá força máxima, com equipes completas tanto no feminino, quanto no masculino, com representantes em todas as categorias. Destaque para David Moura e Sarah Menezes, que lutarão pela primeira vez em 2019. Moura vem de um bronze no World Masters de Guangzhou, em 2018, e buscará repetir seu desempenho de 2017 em Ecaterimburgo, quando garantiu o ouro do peso pesado masculino no Grand Slam russo. 

Para a campeã olímpica Sarah Menezes a estreia em 2019 terá um sabor especial, já que essa será sua primeira atuação no meio-leve (52kg) nesta temporada. Seu melhor resultado foi no Grand Prix de Cancun, onde derrotou a atual vice-campeã olímpica Odette Giuffrida, da Itália, na semifinal, e ficou com a prata ao sofrer o revés na final diante da mexicana Luz Olvera. 

Além de Sarah, a equipe feminina do Brasil terá ainda Nathália Brígida (48kg), Rafaela Silva (57kg), Mayra Aguiar (78kg) e Maria Suelen Altheman (+78kg), que subiram ao pódio do Grand Slam de Dusseldorf, em fevereiro. Completam o time Eleudis Valentim (52kg), Aléxia Castilhos (63kg), Ketleyn Quadros (63kg), Maria Portela (70kg), Samanta Soares (78kg) e Beatriz Souza (+78kg).

A seleção masculina, que faz sua segunda competição no ano, terá, além de David Moura, a presença de Eric Takabatake (60kg), Phelipe Pelim (60kg), Daniel Cargnin (66kg), Eduardo Barbosa (73kg), Marcelo Contini (73kg), Eduardo Yudy Santos (81kg), Eduardo Bettoni (90kg), Rafael Macedo (90kg), Leonardo Gonçalves (100kg), Rafael Buzacarini (100kg) e Rafael Silva “Baby” (+100kg)