Presidente Alex Santana solicita cursos de primeiros socorros para escolas

Com o Requerimento de número 227/2019, Alex Santana (PSD), solicitou ao comandante do Corpo de Bombeiros do Município de Rolândia, Dhieyson Weslen Buderenik a viabilidade em promover e ministrar curso de primeiros socorros aos professores e profissionais lotados nas instituições educacionais da rede municipal de ensino, visando capacitá-los.

Desde março de 2019, todas as escolas do Brasil devem ter professores e colaboradores capacitados em primeiros socorros. A obrigatoriedade foi estabelecida, em outubro de 2018, após a aprovação da Lei Federal de nº 13.722, chamada Lei Lucas, que tornou obrigatório o treinamento em primeiros socorros nos estabelecimentos de ensino básico e recreação infantil. 

Diante dessa obrigatoriedade, o presidente Alex, teve a iniciativa de pedir ajuda ao Corpo de Bombeiros, pois o mesmo, possui a capacidade técnica e estrutural e os equipamentos necessários para promover os cursos de primeiros socorros à comunidade escolar de Rolândia. O trabalho promovido pelos integrantes da corporação é referência para o território nacional e, em vários estados brasileiros, o Corpo de Bombeiros já desenvolve ou desenvolveu ações neste sentido, em parceria com o Poder Público Municipal.

Esta atitude é de extrema relevância para o ambiente educacional, diante de inúmeros acontecimentos (engasgamentos, quedas, eventos convulsivos, paradas cardíacas ou respiratórias, afogamento, cortes, queimaduras e exposição a descargas elétricas não são infrequentes) que vem ocorrendo dentro das escolas municipais pelo Brasil. Há relatos de vários acidentes com crianças e adolescentes, tidos equivocadamente como de baixa periculosidade, porém têm levado a muitos jovens a enfrentar sequelas fisiológicas e anatômicas irremediáveis ou ainda, vir a sofrer o óbito.

“Muitos pais e mães nos procuraram para solucionar este grave problema que, eventualmente, pode vir acontecer nas escolas municipais de nossa cidade e, por isso busco uma alternativa com nossa equipe do Corpo de Bombeiros”, relata Alex.

Por que Lei Lucas?

A lei ganhou esse nome em homenagem ao menino LucasBegalli, que morreu engasgado em uma excursão escolar. As professoras que acompanhavam os alunos não sabiam como agir e não conseguiram salvar a vida do garoto. O engasgo é uma das situações com as quais o curso ensina a lidar.

A dor da tragédia levou a família de Lucas a lutar para proteger outras crianças desse risco. O esforço valeu a pena com a aprovação da lei no Congresso Nacional, após anos de luta. Com a adequação de todas as escolas, casos como o de Lucas não voltarão a acontecer.