Em Rolândia, as mulheres mostram a força do empreendedorismo feminino em vários ramos de negócio e, ainda, causam surpresa

É cada vez mais comum ver as mulheres tomando espaço no mundo dos negócios e assumindo o comando de estabelecimentos com o poder do empreendedorismo feminino. Em Rolândia, muitas delas se destacam e já têm sucesso e reconhecimento no seu ramo. Vamos conhecer três empresas cujas proprietárias são, claro, mulheres. Elas contam um pouco sobre a rotina e as surpresas de algumas pessoas em verem mulheres à frente dos negócios.

Marmitex é com essas irmãs
Gislaine, Gizelle e Elaine Rodrigues são irmãs e proprietárias da Casa do Marmitex, que está sob a direção delas em Rolândia há mais de dez anos. As irmãs tocam a marmitaria com competência e não se deixam intimidar no atendimento ou no contato com fornecedores por serem mulheres. As irmãs Rodrigues acreditam que a sororidade, que trata da parceria e apoio de irmandade feminina, é fundamental para que as mulheres fortaleçam os negócios uma das outras. “Através do nosso trabalho, tentamos mostrar que as mulheres são capazes”, explicou Gislaine.

Os serviços de alimentação são a atividade mais comum entre empregadoras mulheres, segundo o DataSebrae, com um percentual de 12,8% das empreendedoras. Mesmo assim, Gizelle relatou que alguns fornecedores ainda têm preconceito e pedem para falar com o dono, esperando que essa figura seja um homem. “Eles comentam, geralmente fazem piadinhas sobre mulheres”, relatou.

“Cadê um homem pra me atender?”
As gestoras da Chácara Rolândia, Aline, Isabela e Roberta Torezan, já estavam habituadas com sítios e chácaras por causa da família, mas relataram ter dificuldades no comando por serem mulheres. “No começo, às vezes aparecia alguém perguntando: cadê um homem pra me atender? Eles achavam que precisava ter um homem para pegarem alguma coisa”, contou Aline.

Além de serem três mulheres à frente da chácara, elas ainda tem uma mulher como atendente principal. “Os homens trabalham no jardim e serviços no fundo da chácara”, relatou Isabela. Para elas, as pessoas ainda sentem um impacto com a autonomia das mulheres. Para lidar com isso, elas acreditam que as mulheres precisam se impor na área em que atuam. “A maioria dos nossos fornecedores é homem, mas nós nunca nos intimidamos”, exemplificou Aline.

No entanto, ao longo de quatro anos no comando da chácara, as irmãs já notaram mudanças neste sentido. “Acho que sofremos preconceito no começo, mas é através de mulheres que se colocam onde querem, que melhoram a vida das outras”, aponta Roberta. As próprias mulheres acabam fortalecendo a sororidade. “No nosso serviço, acho que as mulheres que vem aqui se sentem acolhidas de melhor forma, ou quando uma empresa entra em contato comigo e vê que é com uma mulher que ela está falando, percebemos essa parceria”, concluíram as irmãs.

“A ótica das meninas”
A Ótica Canaã, que completou seis anos na cidade, é comandada pelas irmãs Thais e Talita Miranda, que ainda empregam três mulheres na loja. No ramo de óticas, a Canaã é a única gerenciada por mulheres em Rolândia. Talita relatou que levou algum tempo para elas conquistarem confiança dos consumidores rolandenses como mulheres empreendedoras. “Até hoje, se fala pouco como ‘Ótica Canaã’, ficou ‘ótica das meninas’”, brincou Talita.

Thais já conhecia vários representantes – a maioria são homens – e por isso, elas acreditam que a desconfiança em relação à competência feminina tenha sido menor. “Apesar disso, ainda foi difícil estar à frente dos negócios”, opinou. As irmãs acreditam na sororidade entre empresárias na cidade, até mesmo pela existência no núcleo feminino na Associação Comercial e Empresarial de Rolândia (ACIR). “Não vemos essa questão de desigualdade ou concorrência, é uma trocando ideia com a outra, ajudando, dando dicas”, apontou Talita.

SERVIÇOS:
CASA DO MARMITEX
AV. AILTON RODRIGUES ALVES 1321 – A
FONE: 3256-0122

CHÁCARA ROLÂNDIA
AV. ITAMARATY 400
FONE: 3256-3310

ÓTICA CANAÃ
AV. INTERVENTOR MANOEL RIBAS 903
FONE: 3051-1001