A finalidade da Ouvidoria na Saúde de Rolândia

    A ouvidora Angélica Pusch Nogueira ocupou a Tribuna Livre da Câmara Municipal na sessão da segunda-feira (06) para falar das atribuições da Ouvidoria Geral da Saúde de Rolândia. Angélica definiu a ouvidoria pública como um mecanismo institucional de participação social. A função do ouvidor, como ela ressaltou, é de acolher, analisar, encaminhar e acompanhar o trâmite e respostas das demandas dos usuários dentro do prazo estabelecido. “A ouvidoria atua no processo de interlocução e diálogo do cidadão com a gestão pública”, resumiu. Todo o processo deve ter sigilo e as denúncias são anônimas, mas mediante provas que a comprovem. 
    Como Angélica explicou aos presentes na sessão, os atendimentos são registrados de duas formas. O pronto atendimento é quando o próprio ouvidor fornece a resposta imediata e outra forma é o atendimento completo, quando a manifestação é encaminhada pelo ouvidor para o setor competente a resposta é repassada posteriormente ao cidadão. A ouvidoria está pleiteando o sistema SIGO (Sistema Integrado de Gestão de Ouvidorias), e um requisito para obtê-lo é que seja implantada uma linha telefônica exclusiva para a ouvidoria, que atualmente divide-a com a secretaria, além de capacitação para a ouvidora. 
    Foram registradas 270 manifestações em 2018, número bem superior a 2017, em que foram registradas 165 manifestações. O contato presencial dos usuários representa 72% das manifestações, que corresponde a 195 contatos. 25% dos contatos (68 deles) são feitos via telefone. Cinco cartas com manifestações foram enviadas ao endereço da secretaria, cerca de 1,85% dos contatos. Menos de 1% são por email – em 2018 foram apenas 2 contatos eletrônicos. 
    Apesar da maior parte das manifestações serem reclamações, como também podem ser denúncias, sugestões, outras solicitações e também elogios. “Tivemos boas práticas que foram reconhecidas pelos cidadãos”, destacou Angélica. A ouvidoria ainda enfrenta desafios na divulgação, fortalecimento e enfrentamento da descrença dos resultados dela, conscientização do cidadão sobre seus direitos, garantia de qualidade e agilidade na resposta ao cidadão e outros elencados pela ouvidora.
    A equipe da ouvidoria é composta por Arlete Cristina Rodrigues (diretora), Vânia Bonfim Santos Yoshida (gerente), Tatiane Ribeiro (assistente social) e Angélica (ouvidora). Para fazer sua manifestação, o rolandense pode entrar em contato pelo 3906-1120 ou se dirigir pessoalmente à rua Santos Dumont, 609, de segunda a sexta das 8 às 12h30 e das 13h30 às 17h, ou enviar email para: [email protected]