Redes Sociais

Médicos da esperança levam alegria à pacientes do Hospital São Rafael

Imagem de: Médicos da esperança levam alegria à pacientes do Hospital São Rafael

O grupo dos Médicos da Esperança é um projeto que tem por finalidade levar alegria e perspectiva, pessoas que estejam vivendo em circunstâncias difíceis, seja por doenças, por abandono da família, entre outras situações, o trabalho tem uma grande importância. Eles existem desde Outubro de 2011, e em 2017 completam 6 anos de existência.

Ederson Marcos Fonseca, 29 anos, é missionário, e conta que a ideia do grupo já existia no coração da Comunidade Católica Filhos da Luz desde 2004, porém não tomava forma. “Diante disso, através da autorização do fundador da comunidade, o Diácono, Adilson de Freitas, eu visitei o hospital do Câncer da cidade de Londrina, para saber as necessidades e as regras, para visitação de grupos no ambiente hospitalar, e a partir disso poder dar início ao projeto” explica.

 

O contato com o Hospital São Rafael

No início do grupo o missionário não havia pensado na possibilidade de trazer este trabalho para o São Rafael. Por não ter nascido aqui em Rolândia, ele não conhecia a instituição e por isso deu o primeiro passo, em Londrina. Foi quando justamente no mesmo ano de iniciação ao grupo, o pai dele ficou doente e precisou ser internado no São Rafael. “Neste meio tempo meu pai acabou falecendo e este foi o primeiro contato com o hospital” conta.

Depois disso Ederson acabou conhecendo a enfermeira, Ana Carolina Guimarães, 35 anos, que atua no setor de Infectologia do hospital. O contato inicial foi possível por meio de uma palestra que a profissional fez na Paróquia São Pedro Apostolo e Nossa Senhora de Fátima à ministros da Eucaristia, vale lembrar que o trabalho em si tem todo apoio da Igreja e do Pároco Padre Paulo Formosa. Após muito estudo, pesquisa e preparação o grupo dos Médicos da Esperança foi fundado.

No começo eram apenas ele, e mais uma pessoa, mas o missionário tinha a vontade de ter 12 pessoas atuando no projeto. “É um número bíblico, Deus falava ao meu coração essa quantidade de voluntários, mas acabou surgindo muito mais que 12”. Atualmente contando com o Ederson o programa é formado por nove pessoas: Daiane Gobbi, Karina Franciele Martins de Oliveira, Matheus Asth, Lahís Juliane Sanches, Guilherme Zaineldim Bezerra, Vivian Gabriele Fonseca, Odinéia Alexandre Gomes e Luís Fernando. Futuramente, é provável que mais cinco pessoas também se tornem parte do grupo.

 

 

 

Não é só se vestir de palhaço

O missionário ressalta que ser um Médico da Esperança exige-se muito mais do que caracterização, e a “palhaçada” em si. “As vezes as pessoas acham que é só se vestir de palhaço, mas não é. Envolve muitas coisas, o físico, o espiritual, o psicológico”, explica. Ederson conta que ele mergulhou a fundo neste universo dos Doutores da Alegria, e dos Clowns, que é a diferenciação dos palhaços. “Existem vários tipos de palhaço. O de circo tem suas características, o de festa outras, e o de hospital também” afirma.

Além disso, é preciso ter todo um cuidado no momento de abordar os pacientes, e de transmitir a alegria no ambiente hospitalar. Por isso existe o trabalho de treinamento feito pela enfermeira, Ana Carolina. Ela explica, que estas instruções não são apenas fornecidas aos Médicos da Esperança, mas também para outros grupos que fazem visitações ao hospital. “A questão de saber se portar dentro de um espaço hospitalar, é muito importante. Envolve principalmente a questão de transmissão de doenças, feita por aqueles que não tem entendimento do que é, e daquilo que não é permitido, dentro de um hospital” explica. Mas ela afirma que nunca houve qualquer tipo de rejeição, ou de problema, relacionado ao trabalho do grupo, dentro do hospital.

A importância de transmitir alegria

Apesar de estar no papel de transmissor da felicidade, o missionário confessa que surgem os momentos de dificuldades, como na vida de qualquer pessoa. Quando esses dias chegam, Ederson e os outros voluntários, tentam esquecer os problemas, se desligarem por algumas horas, se caracterizarem de palhaços e irem até as pessoas. “Muitas vezes quando eu comecei um trabalho de visitação não me sentindo bem, mais eu saia de lá muito melhor. Nunca houve uma situação contraria. É muito bom transmitir alegria para as pessoas”, confessa.

Quando eles começam o espetáculo?

Os Médicos da Esperança visitam o Hospital São Rafael todas ás quartas-feiras, das 19:00 às 20:30 horas. E aos sábados, as vezes de manhã ás 11:00 até ao 12:30, ou no período da tarde, às 16:00 até às 17:30 horas.

Além do Hospital São Rafael, o grupo também visita asilos de Rolândia e a APAE. Os Médicos da Esperança possuem uma página no Facebook onde são compartilhados os momentos das visitações, entre outras informações. É só acessar www.facebook.com/medicosdaesperancarte, curtir e acompanhar. 

fonte:

Portal Rolândia

« Voltar Imagem de: Médicos da esperança levam alegria à pacientes do Hospital São Rafael
Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google+ Compartilhe Instagram

Notícias Relacionadas