Redes Sociais

Carlos Harfuch

Política e Economia

Professores no Brasil estão entre mais mal pagos em ranking internacional

postado em 24/05/2015 20:21:56

O título acima é de artigo que cita os professores paranaenses, suas condições de trabalho e salário, além de outros quesitos e que pode ser lido completo no link http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2015/04/150430_educacao_eficiencia_pu do site da BBC, postado dia 30 de abril de 2015, reproduzidos aqui seus dois primeiros parágrafos:

O Brasil é o lanterninha em um ranking internacional que compara a eficiência dos sistemas educacionais de vários países, levando em conta parâmetros como os salários dos professores, as condições de trabalho na escola e o desempenho escolar dos alunos. O ranking é de setembro do ano passado, mas volta à tona no momento em que o governo paranaense aprova uma redução nos benefícios previdenciários dos professores do Estado.

Em outro link da BBC, http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2015/05/150512_educacao_mapas_cc postado em 13 de maio de 2015, o título é: “PIB do Brasil pode crescer ‘7 vezes’ com educação para todos, diz OCDE”, OCDE – Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, e que os países dela afiliados aceitam os princípios da democracia representativa e da economia de livre mercado.

         Outra coisa que o link aborda é sobre os Estados Unidos e Vietnã, mas, sobretudo, a queda dos níveis da Suécia, que nos anos 1990 do século passado privatizou parte do seu ensino público:

Os Estados Unidos tiveram um desempenho ruim e aparecem na 28ª posição, atrás, ironicamente, do Vietnã. Mas a OCDE mostrou preocupação especial com o que classifica como declínio da Suécia. Na semana passada, o órgão publicou críticas ao sistema educacional sueco depois de registrar uma queda nos resultados do Pisa entre 2000 e 2012. Pediu especificamente uma revisão do esquema instituído nos anos 90 que "privatizou" parte da rede pública de ensino.

Cabe aqui, portanto, uma reflexão: se a OCDE, que de alguma forma aceita a economia de livre mercado dos seus países membros e por via de consequência o que se ousou chamar de neoliberalismo, os defensores dessa política no Brasil devem estar equivocados de como se deve traçar e elaborar políticas públicas para o setor, pois o que nos parece é que quando se trata de educação muitos desses países não levam em conta a economia de mercado, pelo contrário, em muitos deles a educação é tratada como coisa séria e como estratégia de desenvolvimento e defesa.

Mas como os políticos brasileiros se esqueceram de ler e estudar, nos parece que da forma que está o país voltará a empobrecer mais do que já está, além de ficar marginal da Sociedade do Conhecimento, que é o centro e a meta deste novo mundo que já se apresenta para os países que já perceberam isso, ou melhor, já entenderam a dinâmica deste novo mundo do conhecimento.

- Carlos Harfuch é idealizador do projeto "Política com Ética",  confira seu trabalho em www.politicacometica.com.br.

 

« Voltar

Anteriores