Redes Sociais

Carlos Harfuch

Política e Economia

Retratos da Vida

postado em 26/04/2016 10:05:51

Carlos Harfuch – 2016 outono

Há dois dias no caixa de um mercado um homem com seu filho de mais ou menos dez anos passava suas compras.

Os itens de sua compra eram latas de cerveja achacadas em dois fardos, um grande e outro menor, e pacotes de cigarros.

Não havia doces para o filho, nem refrigerantes, sequer feijão, arroz ou carne, apenas cerveja e cigarros.

Ele, já em fase evidente de domínio do álcool, pois suas mãos tremiam vertiginosamente, tirou do bolso um calhamaço de dinheiro e pagou seu precioso mantimento e se mandou com seu filho.

Esse era o único exemplo possível que ele dava ao filho... de dez anos, SEU LEGADO.

Palavras não bastam para dizer o que esse pobre mecânico de automóveis fazia a si mesmo e ao seu descendente.

Enquanto isso os que estavam atrás e esperavam a finalização da compra desse senhor, já entuchavam no caixa seus preciosos mantimentos, numa sôfrega e desesperada ação de inibir e pressionar quem está na frente, pois a vida dessas pessoas carece de tempo para não perderem um só lance precioso de suas medíocres vidas insossas, pois um tal whatsapps é muito mais importante que um simples gesto de educação e civilidade seja onde for.

Imagine o quanto essa ideologia chamada tecnologia da informação (de massa) gera de educação entre os seus adeptos! É de se lastimar e chorar perante tanta tecnologia; educativa, é claro!

No trânsito então a coisa está ainda mais especial, pois há dois dias também, um senhor dirigia há mais de 120 km/h na estrada quando o carro da frente diminuiu a velocidade. Ele, em sua lógica varonil, buzinou, fez gestos obscenos, rosnou, até que percebeu que o motorista da frente reduziu porque havia radar de limite de velocidade. Não é preciso nem dizer que ele estava no telefone celular.

E ambos os motoristas estavam acima do limite de velocidade, pois a redução de velocidade foi por isso mesmo.

E educação básica, nada.

Nos eventos aqui relatados não havia negros. Nos eventos aqui relatados não havia mulheres. Havia apenas homens brancos com seus filhos (machos brancos) ensinando a eles como se deve viver neste “paraíso” chamado Brasil.

Será que esses pais poderiam ajudar o governo a comprar lanches e doar às escolas, ou até mesmo aos que passam fome? Pois a bandeira de salvar mais de 10% de desempregados no Brasil é muito moralista. Quero ver quem vai de encontro ao infortúnio e oferece, também, sua mão amiga?

Mais que isso, sua mão educadora!

Ou será que a desculpa deles para não fazerem nada é que o governo cobra muito imposto e rouba demais?

Mas para entuchar seus buchos com muito álcool e fazer seus pulmões ferverem com cigarros às tampas sempre se dá um jeitinho de se ter dinheiro.

A mesma coisa pode-se se dizer sobre os formosos e tecnológicos celulares com seus whatsapps, que certamente um desses usuários irá salvar o mundo com seus diálogos mais que equilibrados e inteligentes! Haja ideologia disfarçada de tecnologia!

Não salvam nem a si mesmos, mas possuem a pretensa soberba de quererem salvar o mundo. Quem sabe um dia, desde que se salvem em primeira instância.          

Há um documentário no discovery sobre o povo Sherpa do Nepal. Eles são competentes guias e levam pessoas do ocidente para o Everest, montanha mais alta do mundo. Não precisa nem dizer que essa praga ocidental inundou certas regiões do Nepal com seus valores capitalistas, fazendo com que os valores seculares daquele país entrassem em colapso, infelizmente.

No ano de 2014 houve uma tragédia em que muitos ocidentais e também Sherpas morressem em uma dessas escaladas ao Everest.

Os Sherpas ficaram furiosos e essa fúria estava se voltando contra os ocidentais. Os ocidentais muito espertamente fizeram com que os Sherpas se voltassem contra o Governo do Nepal e com isso confundiram as razões desse povo no que se refere aos perigos que a montanha Everest oferece e que todos estão muito cientes disso, sobretudo os Sherpas e os gloriosos alpinistas ocidentais.

Então a responsabilidade deixou de ser deles e passou a ser do Governo “Nepali”.

Só para lembrar, isso foi um ano antes do terremoto de 2015, acontecido nesse mesmo Nepal.

E o Governo Dilma nem estava lá para receber a culpa de tudo isso!

Ah! Só para informar, em nível de competência empresarial o Brasil está entre os piores níveis do mundo.

Para encerrar, e para salvar a moral e ética de alguns homens, pois nem todos são animais truculentos e insensíveis: diz uma lenda que certa senhora abandonou suas três filhas e seu marido e foi viver livre, leve e solta com seus “dignos” e “preciosos” chamamentos à sua sensualidade desregrada.   

Permitiu a si viver esses chamamentos com homens truculentos e bárbaros, tais quais os aqui já citados. Quando, porém, ela, dona absoluta do seu corpo, sofreu um AVC, ninguém quis cuidar dela. Sabe quem a recebeu de volta, contra a vontade das filhas deles e do mundo todo? ELE, seu antigo marido, e cuidou dela por mais de quinze anos, até que morreu no final do ano passado. Pois é, quem se digna ajudar agora essa senhora? Essa história é verídica! 

Ah! Outra coisa, esse HOMEM era negro! Ponto para os inteligentes e educados!

« Voltar

Anteriores